Resiliência

November 8, 2017

   

 

  Me “apropriando” de parte de um poema de Bráulio Bessa* queria tratar de um assunto cada vez mais discutido que é Resiliência:

“Sobre a vida... / sendo eu um aprendiz / a vida já me ensinou / que besta é quem vive triste / lembrando do que faltou / magoando a cicatriz / esquece de ser feliz / por tudo o que conquistou / afinal, nem toda lágrima é dor / nem toda graça é sorriso / nem toda curva da vida / tem uma placa de aviso / nem sempre que você perde / é de fato um prejuízo / o meu ou o seu caminho / não são muito diferentes / tem espinho, pedra e buraco / ‘pra mode‘ atrasar a gente / não desanime por nada / pois até uma topada / empurra você pra frente ......”

  Ele inicia (sobre a vida... sendo um aprendiz) tratando da base que sustenta o autodesenvolvimento, que é sem dúvida o diferencial para um indivíduo resiliente: aprendizagem.

Explicando melhor, as pessoas resilientes são conscientes de suas limitações e as aceitam, mas nem por isso sucumbem às adversidades, entendem que o conhecimento a respeito das próprias vulnerabilidades e fraquezas também é muito importante já que o autoconhecimento preciso possibilita o desenvolvimento realístico do processo de superação e entendimento das mudanças.

Assim, desenvolver e corrigir fraquezas pode, no mínimo, elevar uma pessoa para um nível mínimo de competência que vai evitar um fracasso estrondoso e, levá-lo a clareza de suas forças, bem como saber seu limite e acreditar que limites existem para serem superados.

   Afinal, como também é dito no poema - nem sempre-que você perde / é de fato um prejuízo – o benefício profissional em ser resiliente é buscar a força interna e condições para absorver as dificuldades de forma a tratar apenas como um “status provisório” e não como algo definitivo em sua vida.  

   E, para concluir, lembre-se de que você não está só, basta olhar para o lado e se conectar, não só com as máquinas, como estamos tão acostumados e somos estimulados a fazer, mas sim com as pessoas, buscando entender, ouvir e aprender afinal: “....o meu ou o seu caminho / não são muito diferentes....”.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

E se o novo normal for melhor?

May 4, 2020

1/7
Please reload

Posts Recentes

May 29, 2020

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags